Saúde

“Pílula do câncer” começa a ser testada em humanos

substancia_fosfoetanolamina_cecilia_bastos_-usp_imagem_-2

Nesta fase inicial, a pílula será testada em 10 pacientes para determinar a segurança da dose.

Esta segunda-feira, 25, é histórica para a saúde mundial. O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) começa hoje os testes em humanos com fosfoetanolamina, conhecido como “pílula do câncer”.

Nesta fase inicial, a pílula será testada em 10 pacientes para determinar a segurança da dose. Se aprovada, a pesquisa será feita em mais de 200 pacientes que juntos apresentam 10 tipos de câncer diferentes. Estes 210 pacientes devem ser avaliados por cerca de seis meses. O início dos testes foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa do Ministério da Saúde.

Caso uma melhora no quadro de saúde devida à pílula seja detectado em pelo menos três paciente de cada grupo, o governo deverá liberar o avanço dos estudos em um novo grupo de 80 indivíduos.

No total, a “pílula do câncer” deverá ser testada em até mil pessoas. A pesquisa deve ser concluída em dois anos.

To Top