Pesquisador português resgata história de trabalhadores da construção civil de TO - Brasil News

Brasil News

Comunidade

Pesquisador português resgata história de trabalhadores da construção civil de TO

Pesquisador resgata a história dos imigrantes que vieram trabalhar na construção civil em TO após a Segunda Guerra Mundial

 

Condições de trabalho precárias, discriminação e racismo moldavam

a sociedade canadense no período pós-guerra

 

 

O luso-canadense, Gilberto Fernandes, nasceu em Lisboa e veio morar no Canadá há 14 anos. Formado em História Contemporânea e doutor em História pela York University, em Toronto, Fernandes está à frente do projeto City Builders – A History of Immigrant Workers in Postwar Toronto. O projeto é desenvolvido pelo Robarts Center for Canadian Studies, da York University.

O trabalho minucioso de pesquisa e investigação começou em setembro do ano passado. Fernandes se debruçou em arquivos de registros históricos das décadas de 50, 60 e 70 em Toronto – com foco no período pós-guerra.

No período pós-guerra, Toronto foi impulsionada pelo boom da construção civil – ainda como ocorre nos dias de hoje, com a chegada de milhares de imigrantes, sendo que a maioria deles eram irlandeses e italianos, com portugueses também desembarcando no país em número bastante expressivo.

Fernandes ‘escavou’ histórias focadas na grande dificuldade encarada pelos milhares de imigrantes que desembarcaram no Canadá em busca de oportunidade de trabalho.

O custo humano

“Um dos principais tópicos que explorei foi a questão dos acidentes e das fatalidades. O custo humano de construir essa cidade é absolutamente incrível”, afirmou.

De acordo com Fernandes, entre todas as informações coletadas para o projeto, o que mais lhe impressionou foi a quantidade de trabalhadores que morreram durante as três décadas. “Foram 241 mortes imediatas no local de trabalho. Esse número não inclui os que morreram por complicações de saúde”, disse ele.

O imenso volume de informação colhido para o City Builders Project resultou em um website onde o visitante faz uma viagem no tempo por meio de fotografias e videos.

Ainda no site, um documentário, com duração em torno de uma hora e meia e dividido em duas partes, traz depoimentos que revelam um país que ofereceu trabalho aos que aqui chegaram, mas o mesmo Eldorado era um campo minado onde predominava o desrespeito ao trabalhador imigrante.

Pagar para trabalhar

“A exploração era brutal. Às vezes eles não eram pagos e até tinham que pagar par

O pesquisador, Gilberto Fernandes.

a trabalhar”, disse Fernandes que afirmou ainda que os sindicatos começaram a ganhar força na década de 1960 com um maior número de trabalhadores sindicalizados.

Segundo Fernandes, os developers – os donos dos projetos de construção, tinham prática de negócio com pouca ética. “Eles encorajavam os trabalhadores a se tornarem contractor e sub-contractors

para criar um tipo de competição desleal no setor.

“Os trabalhadores não eram pagos, não gastavam dinheiro com questões de segurança. Muitas vezes um empreiteiro não tinha dinheiro para pagar o trabalhador, declarava falência e depois mudava o nome da empresa.”

De acordo com Fernandes, o tabalhador imigrante ainda enfrentava discriminação e racismo. “A Toronto multicultural e progressista somente é vista a partir dos anos de 1970. Antes, havia discriminação anticatólica e anti-imigrante”, disse.

O City Builders Project recebeu o financiamento da Liuna Local 183 – que é considerado o maior sindicato da América do Norte, com 57 mil membros, sendo que a maioria deles são portugueses.

Um nome em destaque

Um nome fote dos que batalharam pela implementação de uma lesgislação trabalhistas foi o do imigrante irlandês, Gerry Gallagher – fundador da Local 183.

Segundo Fernandes, o financiamento para o projeto foi renovado para mais um ano. “Vamos fazer mais dois episódios para o documentário e mais 20 vídeos de história oral”, disse.

Fernandes quer levar o City Builders Project para escolas e outra entidades educativas. Uma exposição intinerante está programada para ser realizada na rotunda da Prefeitura de Toronto, em março de 2019.

Quem quiser conhecer pela internet o City Builders – A History of ImmigrantWorkers in Postwar Toronto, basta acessar o site: Toronto-city-builders.org.

To Top