Ministro da cultura anunciou mais recursos para o audiovisual brasileiro e condenou qualquer tipo de censura - Brasil News
Política

Ministro da cultura anunciou mais recursos para o audiovisual brasileiro e condenou qualquer tipo de censura

 “Faremos nossa cultura do audiovisual    

   uma das cinco maiores do mundo em 10 anos”

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, anunciou no fim de novembro mudanças na Lei Ruanet – que é a lei que permite pessoas e empresas destinarem recursos para projetos culturais descontando o valor do imposto de renda.

Algumas das alterações na Lei Ruanet são: a simplificação dos documentos exigidos para projetos; o aumento do valor do teto que antes era de 40 para 60 milhões de reais. Existe ainda a possibilidade de uma maior remuneração e também a liberação de ações de marketing das empresas que incentivem as ações culturais.

A intenção com a mudança é buscar novas fontes de recursos para a cultura. “Acho que agora é o oposto. Há um estímulo para que mais empresas participem do patrocínio da cultura o que vai gerar benefícios culturais também para a sociedade”, disse o ministro. Segundo o ministro da cultura, Sérgio Sá Leitão, o ponto chave é controle e rigor na análise dos orçamentos. Ele também salientou que o incentivo fiscal para a cultura deve ser visto do mesmo jeito como é visto o incentivo para a indústria automobilística, ao agronegócio e a outros segmentos da economia.

O ministro Sá Leitão também afirmou que a alteração na Lei Ruanet significa uma nova política de audiovisual que fará a nossa indústria em uma das cinco maiores do mundo em 10 anos.  O potencial está aí, é preciso apenas investir mais e melhor e com menos burocracia. “Os números da economia criativa são ainda melhores do que alguns desses setores”, afirmou em entrevista concedida à TV Cultura de São Paulo.

                                                                                               A faixa etária nas exposições culturais

Sobre a polêmica gerada com o evento que exibiu a nudez de um homem e a participação da criança na exposição, o ministro da cultura, Sérgio Sá Leitão afirmou que a Constituição de 1988 aboliu a censura no país. De acordo com ele, qualquer medida que aponte para a censura para qualquer obra artística é inconstitucional.  “Eu tenho tentado trazer à tona desde o início que a discussão surgiu que é a questão da classificação indicativa. Se nós tivéssemos a faixa indicativa em exposições, museus, eventos culturais, provavelmente essas controvérsias não teriam acontecido ou talvez não tivessem o impacto que tiveram”, disse o ministro.

 

To Top