Falta-nos a grandeza. Uma reflexão sobre o momento de crise no Brasil - Brasil News
Henrique Matthiesen

Falta-nos a grandeza. Uma reflexão sobre o momento de crise no Brasil

Foto divulgação

Foto divulgação

A densa crise política que o Brasil atravessa tem em seu DNA a baixeza singular das estaturas pequenas de nossa classe política, assim como a disputa fratricida do poder. Por parte do governo existe um abandono de sua base eleitoral e um retrocesso econômico. E na oposição, ao mesmo tempo, falta projeto e sobra soberba e golpismo. Na historia política da humanidade sobram exemplos de grandeza em períodos críticos, em que líderes de fato, se sobrepuseram para conduzirem seus concidadãos à vitórias e à superação em momentos dramáticos. Um dos grandes exemplos da grandeza de liderança é Winston Churchill.

Nomeado Primeiro-Ministro em maio de 1940, – devido à demissão de Neville Chamberlain -, quando a Alemanha de Hitler iniciava sua campanha militar invadindo a Holanda, Bélgica, Luxemburgo e França. Churchill buscou unificar o povo inglês e num memorável discurso foi sincero aos britânicos, prometendo apenas sangue, suor e lágrimas. Liderou seu povo e os aliados contra Hitler. Foi um dos grandes nomes que venceu a Segunda Guerra Mundial, e mesmo sobre intenso bombardeio, não hesitou e jamais as forças alemãs entraram em solo inglês. Churchill foi a síntese mais íntegra da grandeza britânica. Foi o guia mais preciso de seu povo, e foi um dos maiores personagens do século XX.

Outro grande exemplo de um líder que teve grandeza em momentos de crise foi o presidente americano Franklin Roosevelt. Responsável pela reação econômica americana pós-crise da Bolsa de Valores de 1929, o 32º presidente dos Estados Unidos teve quatro mandatos de Presidente, e foi o responsável pela entrada dos EUA na Segunda Guerra Mundial. Franklin Roosevelt sofria desde seus 39 anos de poliomielite, o que o dificultava imensamente seus movimentos, e usava para isso cadeira de rodas. Após o ataque da Marinha Imperial Japonesa à Pearl Harbor, na ilha de Oahu no Havaí, Roosevelt presidiu uma reunião com o alto comando militar dos EUA. Nesta ocasião, inúmeros generais, veteranos e condecorados de guerras, questionavam a capacidade americana de entrar na Guerra.

Era necessária grandeza neste momento, onde os generais argumentavam de forma coordenada as limitações Americanas, foi quando num gesto inesperado Franklin Roosevelt com toda dificuldade se levantou de sua cadeira de rodas é disse: “Não me fale que não podemos”. Esse gesto dramático foi o contra-argumento de que ali estava o presidente de pé e que ele guiaria seu país, seu povo à guerra contra o Nazismo. Grande vencedor. Foi um dos presidentes mais admirados pelo povo Americano e pela humanidade, e entrou para história do século XX como um grande Estadista. Temos aqui também grandes exemplos no Brasil. Um deles é Getúlio Vargas, que lutando contra uma de nossas piores elites, libertou o trabalhador Brasileiro da semi-escravidão, conduziu o Brasil a uma industrialização que até hoje é base do nosso desenvolvimento, e que depois disso, deu um tiro no peito para que o povo nunca mais fosse escravo.

Esses personagens tinham a capacidade de unir seus povos, tinham a legitimidade e a honradez necessária de liderança, foram sinceros e dignos dos sentimentos mais elevados de uma nação. Hoje não temos nenhuma liderança com a mínima credibilidade de unir o Brasil, de conduzir nossos caminhos à pacificação, e ao desenvolvimento que tanto precisamos.

Vivenciamos a mais baixa hipocrisia pátria, onde as irracionalidades regadas aos preconceitos, estelionatos, e pequenez têm dado o verdadeiro tom de nossa política. Falta-nos a grandeza necessária de despirmo-nos das vaidades e da conduta antirrepublicana, do jogo promíscuo de uma classe política desassociada da realidade. Falta-nos compostura ética, moral e digna de edificação de valores mais civilizados e mais altruístas. Falta-nos acabarmos com uma polarização de mais do mesmo de grupelhos que buscam apenas as pompas e as benesses que o poder pode nos dar. O Brasil precisa de grandeza.

 

Por Henrique Matthiesen

Bacharel em Direito

henrique_matthiesen@yahoo.com.br

To Top