Como o estresse pode afetar sua saúde oral - Brasil News
Saúde

Como o estresse pode afetar sua saúde oral

Em vez de animais ferozes é preciso enfrentar pressão do trabalho

Contas para pagar, chefe, filhos, correria do dia a dia. Muitos são os gatilhos para desencadear o estresse e, a partir daí, as consequências para organismo são inúmeras. Na saúde bucal, o mal pode causar periodontite, bruxismo, halitose, aftas e cáries.

Para começar a conversa, é preciso esclarecer que a irritação de um dia ruim na maioria das vezes causa apenas nervoso. O estresse é a resposta psicológica e hormonal para situações que demandam adaptação extrema. Por exemplo, ao se deparar com uma situação de perigo, como um animal faminto, nossos ancestrais precisavam defender-se. Tanto para atacar quanto para fugir, o corpo passa por um processo – o batimento cardíaco acelera para bombear mais sangue, há um aumento da respiração e da pressão arterial, entre outros.

A realidade agora é diferente, em vez de animais ferozes é preciso enfrentar pressão do trabalho, correria do dia-a-dia, problemas modernos. Ainda assim, ao menor sinal de ameaça, o corpo se prepara da mesma forma para lutar ou fugir, liberando uma série de mediadores químicos, como a adrenalina. O problema é que como não reagimos fisicamente, correndo ou lutando, as substâncias liberadas no sangue não têm função.

Após muitas situações de adrenalina, algumas pessoas começam a sinalizar falta de disposição e energia, alteração de humor e do sono, hipertensão, problemas de pele. Essas reações mostram que o corpo não vai bem e, sem os devidos cuidados, a consequência é a exaustão que afeta os sistemas imunológico, endócrino, nervoso e o comportamento. “O estressado se sente responsável por tudo, acredita que sem a sua atuação a vida dele e de muitas outras pessoas não funcionaria bem”, diz uma psicóloga.

Segundo especialistas, ao contrário do que pensam, o estresse não é doença de pessoas fracas. “Na maioria das vezes o estresse acomete pessoas que querem dar conta de tudo e, geralmente, são bastante competentes em resolver problemas”.

E como o estresse afeta a saúde bucal?
O estresse libera hormônios como hidrocortisona e cortisol, além de produzir um alto nível de adrenalina. Essas substâncias são responsáveis por regular funções corporais, como o sistema imune, que pode desencadear efeito pró ou anti-inflamatório. O estresse desencadeia um efeito pró-inflamatório, o que, aliado aos maus hábitos de higiene bucal, tornam o ambiente propício para o aparecimento da doença da gengiva e aftas.

O que prejudica ainda mais a saúde bucal são os maus hábitos que a pessoa estressada tende a adquirir ou aumentar, como o consumo de álcool, tabaco e negligência da higiene oral, que é um prato cheio para a cárie e halitose. A tensão emocional também pode acarretar em bruxismo – ranger dos dentes – que causa desgaste dos dentes, distúrbios na articulação temporomandibular e danos ao tecido gengival e ao osso mandibular.

O uso continuo do tabaco danifica as gengivas, causa mau halito, aumenta o acumulo de placa bacteriana e tartaro e ainda eleva o risco de desenvolvimento de cancer oral.

Como tratar esses problemas?

Aftas – que sao feridas muito doloridas na boca causadas por virus, bacteria e deficiencia do sistema imunologico – podem ser cauterizadas com laser;

A doenca periodontal ou gengivite precisa ser tratada por um profissional da area e a consistencia na boa higiene oral em casa ajuda a manter a saude bucal. Vale lembrar que a doenca da gengiva e irreversivel, porem, “tratavel”.
O bruxismo pode ser atenuado com o uso de uma placa estabilizadora, de resina acrílica, que chamamos de “nightguard” que serve para proteger os dentes e demais componentes do sistema mastigatório durante as crises noturnas de bruxismo. Além disso a placa ainda reduziria a atividade elétrica de músculos elevadores da mandíbula, reduzindo assim a atividade tensional.

Algumas dores de cabeçaa cronicas também são amenizadas com o uso dessas placas.

Estatistcas mostram que 3 canadenses morrem por dia vitimas de cancer oral, isso porque quando detectado, geralmente a doenca esta em um estagio bem avancado.

Exames periodicos com o dentista podem detectar alguma anomalia no tecido da boca e lingua, ajudando no diagnostico precoce da doenca. Alem do exame visual feito, exitem algumas tecnologias que complementam esse exame.
Um estudo publicado no periódico Journal of Personality and Social Psychology mostra que as pessoas são igualmente propensas a hábitos positivos ou negativos quando estão sob pressão. Ou seja, o estresse potencializa hábitos ruins e bons, depende o que cada um está habituado a fazer. Uma pessoa que nao tem bons habitos de higiene oral, tende a negligencia-la ainda mais, propiciando o desenvolvimento de doenca da gengiva e ate mesmo caries, ja quem gosta de ir à academia, por exemplo, malhará ainda mais.

“A pessoa estressada negligencia o que não é hábito para ela, quem já é consciente sobre a boa higiene bucal, ao passar por um período de estresse, tende a não negligenciar a saúde oral”.

To Top